O que saber sobre o tratamento para varizes

Como uma criança curiosa, você pode se lembrar de procurar nas meias grossas de um parente idoso as veias azuis retorcidas sob a pele que parecem cobras sem caroço. Conhecidos como varizes, esses vasos sanguíneos que levam o sangue de volta das pernas para o coração são, na verdade, um sistema mais superficial.

Os Institutos Nacionais de Saúde estimam que 60 de todos os homens e mulheres sofrem de alguma forma de doença venosa. Um quarto das varizes são homens, embora Weiss observe que as mulheres quase sempre procuram ajuda para varizes.

As veias da aranha, as listras vermelhas ou azuis mais delicadas que podem aparecer como teias de aranha na superfície da pele, são uma forma menor de varizes e podem preceder o desenvolvimento da variação mais feia ou causar preocupações estéticas próprias. A exposição ao sol pode piorar as veias da aranha, quebrando o colágeno sob a pele. Quer saber mais sobre ? Acesse https://www.gustavofranklin.com.br/

Tanto as varizes quanto as veias de aranha ocorrem quando as válvulas que trabalham para impedir o fluxo sanguíneo do coração e da perna falham ou ficam soltas e frouxas – permitindo uma retrolavagem que estica as veias e até penetra lentamente nos tecidos. tornozelo e perna, causando inchaço.

Além do efeito cobra roxa, as varizes podem ter cãibras ou latejar à noite. Tanto sangue se acumula nas pernas que as pernas podem parecer pesadas e pesadas. Se o fluido claro dos vasos dilatados penetrar no tecido, pode sufocar o fluxo sanguíneo para a pele e causar uma erupção cutânea com coceira ou até uma úlcera dolorosa, alerta Weiss.

As varizes são geralmente mais desconfortáveis ​​e feias do que perigosas.

O que são varizes e o que as causa?

As varizes são veias superficiais dilatadas das pernas que parecem cordões torcidos saindo de debaixo da pele. As veias que funcionam normalmente contêm válvulas unidirecionais que ajudam a bombear o sangue dos pés para o coração. As varizes se desenvolvem quando essas válvulas unidirecionais param de funcionar, permitindo que o sangue flua para os pés devido à gravidade. O sangue começa a se acumular nas veias e, com o tempo, as veias se dilatam, resultando em varizes sintomáticas. Mais importante, as varizes são um sinal de insuficiência venosa crônica. Se não for tratada, isso pode levar a dor latejante nas pernas, inchaço, fadiga nas pernas, alterações na pele, coágulos sanguíneos (trombose venosa profunda), síndrome das pernas inquietas e úlceras venosas.

O que são veias de aranha?

As veias da aranha são veias azuis e avermelhadas de paredes finas que aparecem muito perto da superfície da pele, mas não se destacam como as varizes. As veias da aranha podem se espalhar para diferentes áreas da pele e geralmente cobrem as pernas e até o rosto. Eles podem ser tratados com escleroterapia (injeção de um produto químico em uma veia) ou tratamento a laser.

Quem está em risco de insuficiência venosa crônica?

A insuficiência venosa crônica pode afetar qualquer pessoa, independentemente da idade, sexo ou raça. Mulheres com mais de 50 anos e aquelas que tiveram filhos são mais propensas a desenvolver sinais e sintomas de doença venosa. A condição é muitas vezes hereditária e pode afetar vários membros da mesma família.

Fatores que podem aumentar suas chances de desenvolver insuficiência venosa e varizes incluem:

História familiar de varizes
Ocupações que exigem maior permanência
Sobrepeso
Falta de exercícios
Gestações atuais ou anteriores

Como as varizes são tratadas?

Existem várias maneiras de tratar as varizes, algumas das quais raramente são usadas hoje em dia. Tradicionalmente, a cirurgia de remoção de veias era realizada sob anestesia geral e necessitava de hospitalização. Foi uma operação dolorosa que, embora eficaz, muitas vezes resultou na recorrência de varizes.

Neste procedimento, a veia safena da perna é queimada, fazendo com que o sangue venoso flua para as veias mais profundas da perna e de volta ao coração. Outras opções de tratamento como escleroterapia e microflebectomia também são utilizadas para alcançar o melhor resultado para o paciente.

A ablação a laser está associada a longos períodos de inatividade?

O tratamento a laser endovenoso (EVLT) é um procedimento minimamente invasivo para tratar varizes usando apenas um anestésico local. O procedimento leva cerca de uma hora, e os pacientes podem andar e fazer atividades leves no mesmo dia ou no seguinte. Para atividades mais rigorosas, como esportes e levantamento de peso, os pacientes são aconselhados a esperar duas semanas após o procedimento. A exposição ao sol e banhos quentes também devem ser evitados durante esse período. As meias de compressão precisam ser usadas por 2-4 semanas após o procedimento para obter os melhores resultados a longo prazo.

E se eu precisar da veia safena para uma cirurgia de bypass cardíaco no futuro?

Como as varizes são consideradas danificadas devido à disfunção valvar, elas não podem mais ser usadas para cirurgia de bypass cardíaco. É seguro queimá-las fechadas. Os cirurgiões cardíacos terão outros vasos sanguíneos para escolher se a cirurgia for necessária no futuro. Quer saber mais sobre tratamento de varizes, acesse https://www.gustavofranklin.com.br/clacs-laser-e-escleroterapia-bh/

Fonte de Reprodução: Getty Imagem

COMO VOCÊ É TRATADO?

Dependendo da gravidade da sua situação, seu médico pode recomendar tentar algumas coisas em casa antes de passar para outros procedimentos.

Elevar as pernas, evitar longos períodos em pé e usar meias de compressão para manter o sangue em movimento pode aliviar os sintomas e até impedir que eles piorem, de acordo com as diretrizes publicadas na revista American Family Physician. E embora a evidência esteja longe de ser conclusiva, sugerimos que os flebotônicos, uma classe de medicamentos feitos de plantas e compostos sintéticos semelhantes, podem melhorar o fluxo sanguíneo.

No entanto, para se livrar das varizes, seu médico pode sugerir um dos seguintes procedimentos.

Terapia a laser e terapia de luz pulsada: Durante esses tratamentos no consultório, seu médico usa feixes de laser de alta intensidade ou luz intensa pulsada para danificar o interior da veia e causar o colapso. (Não se preocupe: o fluxo sanguíneo de veias danificadas ou removidas será naturalmente redirecionado para outras veias saudáveis ​​próximas.)

Escleroterapia: Neste tratamento ambulatorial, injeta-se líquido ou espuma na veia afetada para fechá-la. Um estudo recente na revista Phlebology sugere que uma combinação de escleroterapia e outro tipo de tratamento chamado termocoagulação por radiofrequência – que usa calor para destruir o tecido – fornece melhores resultados cosméticos do que a escleroterapia sozinha.

Cirurgia: Para pessoas com varizes graves ou persistentes que não respondem aos tratamentos acima, procedimentos cirúrgicos como flebectomia (na qual pequenas varizes são removidas através de pequenas punções na pele) ou remoção de veia (na qual são feitas duas incisões na perna e para baixo da perna) são recomendados, então toda a veia é removida). puxado através de uma incisão perto da virilha) pode ser necessário, de acordo com Lyons, embora possa ser desconfortável e causar algumas cicatrizes.

Se você tem uma doença cardíaca ou de vasos sanguíneos, certifique-se de informar seu médico antes de se submeter ao tratamento de varizes. Uma veia que é frequentemente destruída durante o tratamento é a veia safena magna, destaca Lyons. E embora essa veia possa ser removida com segurança para tratar varizes, é frequentemente usada em cirurgias de bypass, por isso não deve ser removida se houver uma grande chance de você precisar dela no futuro, diz ele.

Também é importante lembrar que a maioria das seguradoras exige um teste de terapia de compressão (com meias de compressão) antes que opções médicas mais invasivas possam ser consideradas, diz Lyons. Além disso, é mais provável que a cobertura seja aprovada se suas varizes não forem apenas um problema cosmético, mas estiverem causando dor, inchaço ou outros sintomas.

Quando se trata de recuperação, os tratamentos não cirúrgicos tendem a ter tempos de recuperação mais rápidos do que a cirurgia, e as complicações – como dormência, úlceras na pele e hematomas ou sensibilidade – são relativamente poucas.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Variz#:~:text=Entre%20as%20altera%C3%A7%C3%B5es%20no%20estilo,tratamento%20a%20recorr%C3%AAncia%20%C3%A9%20comum.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.